Ícone de UsuárioProfissionais de Saúde

Responsabilidade e Confiança

O tema desta conferência foi mais do que útil e pertinente, pois neste momento a construção de confiança e credibilidade é fundamental num mundo que se tornou ainda mais VUCA. Logo a responsabilidade é a base da confiança, pois 40117 permite demonstrar (carácter e integridade) mas também competência e capacidade. Quer ao nível do colaboradores que também são cidadãos, das organizações, do mercado e da sociedade. 

A responsabilidade não é apenas cumprir a lei, mas pensar na sustentabilidade dos seus negócios de forma continuada  próspera, positiva e benéfica para a sociedade como um todo, muito para além dos seus clientes.

Nem sequer se limita ao nível do meio ambiente e pegada ecológica, bem como a igualdade do género (como está muito presente agora); mas também como organização que interage com a sociedade e que por isso promove comportamentos positivos quer ao nível social, ético e de respeito pelos colaboradores / fornecedores / investidores e reguladores; ou seja pelos stakeholders. E esta responsabilidade tem um valor económico, que é ditado pelos consumidores que preferem empresas responsáveis e portanto optam por adquirir os seus produtos, bem como pelos investidores que veem os seus investimentos seguros em empresas responsáveis.

São os 3 pilares da responsabilidade: a económica, a responsabilidade ambiental e responsabilidade social (que inclui a igualdade do género e integração de pessoas com deficiência; mas também o work life balance por exemplo; ou as actividades de responsabilidade social na comunidade).

Os Imperativos da Responsabilidade nas Empresas

O próprio mercado onde as empresas estão inseridas, "empurrará" as menos responsáveis para comportamentos mais responsáveis e este plano tem de estar na estratégia da companhia como um critical success factor. No futuro, será apenas uma "commodity" (ou seja, comum a todas as empresas, se não, não pdoerão existir), mas neste momento tem de ser um factor crítico de sucesso para diferenciar uma organização das outras.

E implementado do topo para a base da hierarquia, ou seja, a organização deve "respirar" responsabilidade e entender que esta postura,comportamento e ação promovem o bem-estar dos seus públicos interno e externo de forma voluntária, vai ter um retorno económico, quer seja sobre a forma de vendas, maior liquidez, maior rentabilidade, maior atenção e retenção de talento, respeito e confiança dos stakeholders... E Tudo isto vale dinheiro!!!

Jaba Recordati
General Manager

Ler artigo na íntegra

Ler artigo na íntegra