30 SETEMBRO 2019

Prémio Internacional Arrigo Recordati premeia projeto de investigação de Alberto Auricchio


A nona edição do Prémio Internacional de Investigação Científica Arrigo Recordati encerrou com a entrega do prémio ao professor Alberto Auricchio. Relembre-se que este prémio data do ano de 2000, em memória de Arrigo Recordati, empreendedor farmacêutico Italiano, de forma a continuar o seu legado e a inspirar investigadores a realizarem descobertas importantes no campo das doenças raras e beneficiando pessoas em todo o mundo.


 

Prémio Internacional de Investigação Científica Arrigo Recordati de 2019 | Promoção e reconhecimento na Pesquisa sobre o Tratamento de Doenças Órfãs

 

Nos últimos dez anos, a Recordati tornou o assunto das doenças raras uma prioridade de saúde e aumentou o seu compromisso mundial através das suas subsidiárias Recordati Rare Diseases na investigação, desenvolvimento e disponibilização de uma série de tratamentos para doenças órfãs.

De forma a refletir o seu compromisso, a Recordati decidiu que o prémio Internacional de Investigação Científica Arrigo Recordati de 2019 ia ser dedicado à promoção e reconhecimento na pesquisa sobre o tratamento de doenças órfãs.

Projetos internacionais na área das doenças raras/órfãs em todas as áreas terapêuticas (expeto Oncologia, Hematologia e Imunologia) eram elegíveis de candidatura desde que a prevalência fosse igual ou inferior a 1 em 2000.

O Prémio de 2019 foi atribuído em reconhecimento dos projetos de investigação em curso, para os quais já foram obtidos resultados preliminares, como prova de conceito e prova de princípio. O prémio de 2019 foi aberto a investigadores de todas as nacionalidades que não estão, de qualquer maneira, afiliados com farmacêuticas ou companhias médicas. O projeto vencedor foi o de Alberto Auricchio, professor de Medicina Genética no departamento de Biomedicina Avançada na Universidade “Federico II”, em Nápoles, e coordenador do programa de Terapia Molecular no Instituto Telethon de Genética e Medicina (TIGEM) em Pozzuoli (Nápoles), Itália.

O Comité de Revisão/Júri é um painel independente constituído por especialistas reconhecidos internacionalmente, que ocuparam cargos de liderança ao longo das suas carreiras no campo das doenças raras.

A seleção do projeto vencedor foi baseada na avaliação do Comité de Revisão de acordo com os critérios pré-específicos, qualidade da investigação, bem como o impacto dos resultados terapêuticos

“Gostava de sublinhar a grande qualidade dos cinco projetos finalistas, a dificuldade que tivemos em escolher entre tantas áreas” referiu Robert Desnick, mesmo antes de anunciar que o vencedor do Prémio Internacional de Investigação Científica Arrigo Recordati 2019 tinha sido o projeto de Alberto Auricchio.

“Estamos cada vez mais comprometidos em ir ao encontro das necessidades dos doentes que sofrem duma doença rara ao ajudar investigações nesta área” – referiu Andrea Recordati, CEO do grupo Recordati ao anunciar o vencedor. “Em nome do grupo Recordati, Robert Desnick, Francesco Emma, Norio Sakai e eu próprio, é uma honra e privilégio, premiar a excelente investigação de Alberto Auricchio que pode reduzir potencialmente o impacto de uma severa doença rara e indicar as terapêuticas necessárias”.

 


 

Fonte: Vital Health | 30-09-2019


notícias relacionadas
02 JANEIRO 2019
Recordati e Helsinn chegam a acordo para direitos de comercialização exclusivos de cloridrato de clormetina

A Recordati e a Helsinn anunciaram a assinatura de um contrato de licença entre a Orphan Europe e a Helsinn, concedendo à Orphan Europe direitos exclusivos para a comercialização de cloridrato de clormetina em todo o mundo, excluindo os Estados Unidos, China, Hong Kong e Israel.