17 ABRIL 2020

De um dia para o outro o teletrabalho

Uma solução de que muitos trabalhadores já beneficiavam, e pela qual tantos ansiavam, tornou-se de um dia para outro uma absoluta necessidade. Em tempos de pandemia, as empresas procuram manter a sua atividade e a sustentabilidade dos negócios, e as pessoas os seus empregos.

Apresentamos aqui o caso de uma empresa em que o teletrabalho, ou trabalho remoto, se revelou uma opção imediata para a prossecução da atividade: uma farmacêutica. Nelson Ferreira Pires, da Jaba Recordati, fala de um desafio gigante, pois a atividade da empresa é considerada essencial neste período.

 

Uma cultura de resiliência

O diretor geral da farmacêutica Jaba Recordati, Nelson Ferreira Pires, começa por assinalar que «ninguém antecipou que o que está acontecer fosse possível», explicando: «A nossa indústria, e a minha companhia nela incluída, não estávamos preparados para trabalhar desta forma.

Mais ainda quando a nossa latinidade torna esse um fator limitativo. No imediato, entrou em funções o comité de gestão de crise pronto para tomar medidas, em conjunto com os nossos headquarters em Milão. Implementámos no início de março um plano de contingência baseado nas recomendações da Direção Geral da Saúde (DGS) e da Recordati Group.

Estamos na fase C do plano, ou seja, quase toda a equipa a trabalhar de forma remota e a seguir as instruções das autoridades sanitárias. Por outro lado, temos um desafio gigante: a nossa atividade é considerada essencial neste período, pois sem medicamentos não se salvam vidas.»

O responsável conta que estão a adaptar-se rapidamente a esta nova forma de trabalho, e salienta que têm «uma cultura de resiliência como companhia». A adaptação não se verifica apenas na equipa comercial, mas também nas áreas de recursos humanos, de marketing, financeira, médica e regulamentar, fármaco-vigilância, de apoio administrativo e todas os outros departamentos.

Em situações normais, há 80% dos colaboradores a trabalhar fora dos headquarters. «Estes agora não podem pessoalmente contactar os técnicos de saúde», diz Nelson Ferreira Pires, acrescentando: «Estamos a lançar dois produtos que deveriam ter regularidade de informação (visita médica), mas não têm.

No entanto, no nosso ADN corporativo estão dois elementos para superar momentos de crise: as pessoas são o mais importante fator da organização e tentamos sempre converter uma dificuldade numa oportunidade, com o respeito pela gravidade da crise por que passamos.

Somos uma organização resiliente que se adapta. Portanto, implementámos soluções rápidas que agora estamos a aperfeiçoar. Uma delas foi um pequeno treino de gestão de tempo a todos os colaboradores, para otimizarem e conciliarem o trabalho em casa com as interrupções normais familiares.»

 

Na Jaba Recordati há algumas vantagens:

  • Todos os colaboradores já detinham ferramentas de trabalho (PC + telefone móvel da companhia + e-detailing) que lhes permitem realizar o trabalho remoto;
  • Há um sistema de Intranet bastante completo;
  • Utiliza-se o SAP como ferramenta base de gestão e uma ferramenta de CRM [costumer relationship management] bastante útil;
  • A base de dados com respeito pelas normas de RGPD é bastante considerável (mais de 8.000 contactos);
  • Há inúmeros conteúdos de interesse elevado para os técnicos de saúde bem como para formação interna.

Em suma, foram otimizadas as ferramentas de comunicação e formação interna (grupos de Whatsapp, e-mail, newsletter interna regular e Intranet para reforçar a proximidade dos colaboradores da companhia) e desenvolvidas ferramentas de comunicação com os técnicos de saúde e os stakeholders (e-mail, telefone, mas também webinar e podcasts, bem como ferramentas de e-detailing e marketing digital).

A Jaba Recordati tem em Portugal nesta altura, e em permanência, de forma remota 127 colaboradores e na sede no Tagus Park outros cinco. Há rotatividade de funções e responsabilidades presenciais na sede e comunicação permanente entre os colaboradores e os parceiros (logísticos, clientes, autoridades, técnicos de saúde, etc), de forma remota e pontualmente de forma presencial.

 


Fonte: CRHLP (Confederação dos Profissionais de Recursos Humanos dos Países de Língua Portuguesa)