08 OUTUBRO 2020

Baixos níveis de vitamina D são a melhor forma de prever a mortalidade

Póster apresentado na reunião virtual do Congresso Europeu de Endocrinologia 2020, expõe grande estudo, onde baixos níveis de vitamina D (hidroxivitamina livre 25 livre D [25(OH)D]) prevêem mortalidade por todas as causas em homens de meia-idade e idosos.

 

Congresso Europeu de Endocrinologia 2020

De acordo com o autor principal Leen Antonio, dos Hospitais Universitários de Leuven, na Bélgica, é possível prever a mortalidade por todas as causas em homens de meia idade e idosos, através dos baixos níveis de vitamina D [25(OH)D]. O estudo explorou a melhor forma de medir os níveis de vitamina D e determinar a probabilidade de morte.

Os resultados foram recentemente apresentados num poster, na reunião virtual do Congresso Europeu de Endocrinologia 2020. No estudo, foi observável que a deficiência de vitamina D está associada a um risco mais elevado de mortalidade por todas as causas e que, com vitamina D livre, é possível prever a mortalidade.

 

A deficiência de vitamina D é comum na Europa, especialmente entre os idosos, e tem sido associada a um maior risco de desenvolvimento de muitas doenças relacionadas com a idade, tais como doenças cardiovasculares, cancro e osteoporose.

 

Neste estudo verificou-se que os homens com baixos níveis de vitamina D 25 livre (<4,43 ng/L), tiveram mais de 91% de risco de mortalidade por todas as causas, do que aqueles com a quantidade mais elevada. 

Em conclusão, o total de vitamina D livre é facilmente medido e os níveis são avaliados rotineiramente na prática clínica, no entanto, é possível prever a mortalidade por todas as causas, tanto com 25(OH)D total como com 25(OH)D livre, apesar do 25(OH)D livre ser uma forma mais forte de prever a mortalidade.

 

189.2020

 


 

Referências:
European Congress of Endocrinology 2020