Prisão de ventre

A prisão de ventre

A prisão de ventre ou obstipação (intestino preso) é uma patologia muito comum em todas as idades e afeta significativamente a qualidade de vida.

Embora os sintomas possam diferir de pessoa para pessoa, de modo geral são caracterizados por uma dificuldade constante ou ocasional de evacuação.

As fezes de uma pessoa com prisão de ventre são duras e secas o que pode tornar difícil a sua expulsão.

Quando a obstipação ou prisão de ventre aparece de forma repentina é referida como uma obstipação aguda. Geralmente, a obstipação aguda ocorre por episódios isolados sem aviso prévio sendo facilmente identificada pela pessoa que sofre dessa situação.

Esta situação pode ser causada por razões diversas, tais como, efeitos secundários de medicamentos ou mudanças repentinas de estilo de vida, como uma alteração dietética ou uma viagem. Nestas situações o organismo volta ao seu ritmo normal em pouco tempo.

No entanto, esta situação de obstipação aguda é muito desconfortável, interfere na qualidade de vida do doente, pode provocar dores e desconforto abdominal e inclusive impactação das fezes (caracteriza-se por fezes muito duras e secas que são difíceis de expulsar sem intervenção medicamentosa – Microlax® laxante pode ser a solução – ou de clisteres).

 

Como prevenir a prisão de ventre / obstipação?

A melhor maneira de prevenir, e por vezes tratar a prisão de ventre, consiste numa combinação de exercício adequado, uma dieta rica em fibra e o uso esporádico de medicação adequada.

Os vegetais, as frutas e o farelo são excelentes fontes de fibra. Muitas pessoas consideram útil ingerir, duas ou três vezes por dia, duas ou três colheres de sopa de farelo integral ou de cereais com alto teor em fibra. Para que seja eficaz, a fibra deve ser acompanhada pela ingestão abundante de líquidos. O consumo regular de água e em quantidade adequada é fundamental para prevenir esta patologia de intestino preso. É também extremamente importante que a alimentação seja equilibrada e diversificada, com muitas verduras e ingestão de líquidos.

 

Prisão de ventre o que fazer?

Quando se sofre de prisão de ventre (obstipação), é importante evitar alimentos como batatas e féculas, pão branco, bolos ou pastelaria branca e massas não cozinhadas com farinha de trigo integral. Deve-se ainda evitar também comer bananas e maçãs e optar antes por ameixas e kiwis, por exemplo, por conterem muita fibra e água, e serem alimentos com propriedades laxantes e reguladoras do normal funcionamento do intestino.

Para acelerar o processo, existem vários laxantes eficazes que ajudam a que a defecação seja mais suave, natural e indolor, como é o caso do laxante para prisão de ventre Microlax®.

 

Como classificar o grau de prisão de ventre?

Regra geral, de acordo com a classificação da escala de Roma III, quem sofre de prisão de ventre (obstipação funcional ou obstipação crónica) padece de pelo menos dois dos seguintes sintomas durante os últimos três meses:

- Menos de três defecações por semana;

- Esforço durante pelo menos 1/4 das defecações;

- Fezes nodulares ou duras em pelo menos 1/4 das defecações;

- Sensação de evacuação incompleta em pelo menos 1/4 das defecações;

- Sensação de obstrução/bloqueio anorretal em pelo menos 1/4 das defecações.

A tabela em epígrafe ilustra a “Escala de Bristol”. Esta é uma escala médica utilizada para classificar as fezes humanas, e serve para medir o grau de obstipação do paciente - desde a desinteria, passando pelo estado normal, e percorrendo a obstipação mais ou menos severa, até à obstipação cónica. 
Em caso de obstipação, (ou intestino preso), as fezes encontram-se geralmente entre o tipo 1 e o tipo 2. 

Como prevenir a prisão de ventre?

A melhor maneira de prevenir, e por vezes tratar, a prisão de ventre consiste numa combinação de exercício físico adequado, uma dieta rica em fibra e o uso esporádico de medicação adequada, como é o caso do laxante Microlax®.

Os vegetais, as frutas e o farelo são excelentes fontes de fibra. Muitas pessoas consideram útil ingerir, duas ou três vezes por dia, duas ou três colheres de sopa de farelo integral ou de cereais com alto teor em fibra. Para que seja eficaz, a fibra deve ser acompanhada pela ingestão abundante de líquidos. Quando se sofre de prisão de ventre é importante evitar alimentos como batatas e féculas, pão branco, bolos ou pastelaria branca e massas não cozinhadas com farinha de trigo integral. Deve se ainda evitar também comer bananas e maçãs e optar antes por ameixas e kiwis, por exemplo.  

O consumo regular de água e em quantidade adequada é fundamental para prevenir esta patologia. É extremamente importante que a alimentação seja equilibrada e diversificada, com muitas verduras e ingestão de líquidos.

 

 

 

 

 

 

A prisão de ventre infantil 

Na criança muitas vezes o problema aparece, mais frequentemente, durante as mudanças no seu quotidiano, como por exemplo na introdução de elementos sólidos na alimentação, ao retirar a fralda ou quando começam a ir para a creche ou escola. 

É extremamente importante que a alimentação da criança seja equilibrada, com muitas verduras e que haja muita ingestão de líquidos. Para além disso, é muito importante que a criança se habitue a ir todos os dias à casa de banho, preferencialmente à mesma hora para criar rotinas, que adopte uma posição adequada para facilitar a dejecção, etc.

A prisão de ventre na criança é tão comum como no adulto.

A tabela em epígrafe ilustra a “Escala de Bristol”. Esta é uma escala médica utilizada para classificar as fezes humanas, e serve para medir o grau de obstipação do paciente - desde a desinteria, passando pelo estado normal, e percorrendo a obstipação mais ou menos severa, até à obstipação cónica. Caso a criança se encontre obstipada, as fezes encontram-se geralmente entre o tipo 1 e o tipo 2. 

 

Como solucionar a prisão de ventre infantil?

Quando as medidas de prevenção geral e de cuidados adicionais com a dieta e exercício físico da criança não solucionam o problema de prisão de ventre infantil, é necessário recorrer ao uso do laxante Microlax® ou do laxante Casenlax®.

Microlax® está indicado no tratamento sintomático da obstipação rectal ou recto-sigmóideia (prisão de ventre ou intestino preso), encopresis (excreção involuntária das fezes), obstipação durante a gravidez, obstipação associada ao parto e cirurgia (uso pré e pós-operatório) e preparação do recto e sigmóide para exames endoscópicos. Evitar a utilização de Microlax® no caso de congestão hemorroidária, fissuras anais ou rectais e colites hemorrágicas. Medicamento não sujeito a receita médica. Ler cuidadosamente as informações constantes do acondicionamento secundário e do folheto informativo e, em caso de dúvida ou de persistência dos sintomas, consultar o seu médico ou farmacêutico.

 

 

 

 

 

A alimentação e a prisão de ventre na gravidez

Em caso de prisão de ventre (obstipação), deve-se aumentar a ingestão de fibra. As fibras solúveis dos legumes, dos vegetais, da aveia, e da cevada são metabolizadas pelas bactérias do cólon e formam um gel lubrificante que incorporado no bolo fecal facilita a sua progressão. As fibras insolúveis do trigo, do arroz, das nozes e alguns vegetais retêm água e aumentam o volume do bolo fecal que vai estimular a motilidade do intestino preso. O farelo de trigo é um bom exemplo de utilização para solucionar o problema da prisão de ventre.

É importante não esquecer que a fibra ingerida deve ser acompanhada com um aumento proporcional de ingestão de líquidos (água). Essa adição suplementar de ingestão de fibra à dieta deve ser gradual, inicialmente com uma pequena dose, e incrementada lenta e progressivamente.

No entanto, a fibra não resolve todos os casos de prisões de ventre, e até agrava alguns já existentes, uma vez que pode produzir grande quantidade de gases, o que levará a situações de desconforto e dor. É nestas situações, em que as medidas gerais e a dieta rica em fibra não conseguem os efeitos desejados, que recorremos ao uso de laxantes, e Microlax® laxante poderá ser a solução. 

Prisão de ventre na gravidez, o que fazer?

No final da gravidez, é comum que a mulher tenha mais problemas com a prisão de ventre e poderá utilizar um laxante para prisão de ventre, para aliviar o desconforto. 

Existem alguns microclisteres que são adequados para a gravidez pois não provocam danos ao bebé, como é o caso do citrato de sódio (laxante Microlax®).

O uso de laxante na gravidez é uma boa maneira de conseguir eliminar os gases intestinais acumulados e aliviar a prisão de ventre.

Alguns obstetras recomendam laxantes de uso oral para a obstipação. E para acelerar o processo de resolução da prisão de ventre, existem vários laxantes eficazes que ajudam o intestino preso, por forma a que a defecação seja mais suave, natural e indolor, como é o caso do Microlax®.

 

Microlax® está indicado no tratamento sintomático da obstipação rectal ou recto-sigmóideia, encopresis (excreção involuntária das fezes), obstipação durante a gravidez, obstipação associada ao parto e cirurgia (uso pré e pós-operatório) e preparação do recto e sigmóide para exames endoscópicos. Evitar a utilização de Microlax® no caso de congestão hemorroidária, fissuras anais ou rectais e colites hemorrágicas. Medicamento não sujeito a receita médica. Ler cuidadosamente as informações constantes do acondicionamento secundário e do folheto informativo e, em caso de dúvida ou de persistência dos sintomas, consultar o seu médico ou farmacêutico.