+351 21 432 95 00



Lesões musculares

Os músculos

O tecido muscular esquelético corresponde à maior massa existente no corpo humano, e representa cerca de 45% do total do seu peso.

Os músculos são os únicos geradores de força capazes de produzir movimento articular. Realizam contração, convertendo energia química em trabalho mecânico. São 434 músculos, representando 40% do peso corporal; dentre estes, 75 pares de músculos estriados são envolvidos na postura geral e movimentação do corpo.

As lesões musculares podem ser causadas por pancadas diretas, estiramentos ou lacerações.

As lesões musculares são comuns na prática dsportiva, sendo que a maioria são contusões ou distensões musculares.

A contusão muscular ocorre quando, por exemplo, um músculo é submetido à uma força súbita de compressão como um golpe direto. Nos estiramentos, o músculo é submetido a uma tração excessiva levando à sobrecarga das miofibras e, conseqüentemente, a sua ruptura perto da junção miotendínea.

Todas as lesões musculares passam por 3 fases no processo de cura, a fase de destruição (ruptura e conseqüente formação de um hematoma entre os cotos do músculo rompido, e uma reação inflamatória); a fase de reparação (produção de uma cicatriz de tecido conectivo e revascularização por crescimento de capilares na área lesada); e a fase de remodelação (retração e reorganização do tecido cicatricial e recuperação do funcional capacidade do músculo).

 

O que são lesões músculo-esquelécticas

São lesões de estruturas orgânicas como os músculos, as articulações, os tendões, os ligamentos, os nervos, os ossos e doenças localizadas do aparelho circulatório, causadas ou agravadas principalmente pela actividade profissional, pelo exercício físico, etc. e pelos efeitos das condições imediatas em que essas actividades tem lugar.

A maioria das lesões músculo-esqueléticas são lesões cumulativas (v. g. movimentos repetitivos) resultantes da exposição repetida a esforços mais ou menos intensos ao longo de um período de tempo prolongado. No entanto, podem também ter a forma de traumatismos agudos, tais como fracturas causadas por acidentes.

Estas lesões afectam região dorso-lombar, a zona cervical, os ombros e os membros superiores, mas podem afectar também os membros inferiores. Algumas lesões músculo-esqueléticas, tais como a síndrome do canal cárpico, que afecta o pulso, são lesões específicas que se caracterizam por sinais e sintomas bem definidos. Outras manifestam-se unicamente por dor ou desconforto, sem que existam sinais de uma lesão clara e específica.

Fatores de risco - lesões musculares

Constituem fatores de risco deficiências de flexibilidade, desequilíbrios de força entre músculos de ações opostas, lesões musculares causadas por reabilitação incompleta, distúrbios nutricionais ou hormonais, alterações anatómicas e biomecânicas, inclusivé provocadas pelo fator idade, infecções e os outros fatores relacionados com a prática desportiva (aquecimento inadequado, incoordenação de movimentos, técnica incorreta, sobrecarga e a fadiga muscular).

 

Sintomatologia - lesões musculares

O historial clínico é definido por dor súbita localizada de intensidade variável, por vezes acompanhada de um estalido audível ou de uma sensação de pedrada. A intensidade dos sinais e sintomas podem variar de acordo com a sua gravidade.

Ao examinar o paciente lesionado, o médico busca edema localizado, tensão aumentada do tecido ao redor e possibilidade de um "defeito" (área de depressão local) visível ou palpável. A presença de hematoma tem o significado de uma lesão de maior extensão e gravidade. A contração contra resistência revela dor local e impotência funcional, caracterizada pela incapacidade de se mover a articulação.

Os estiramentos musculares geralmente não são precedidos por dor localizada ou tensão muscular aumentada no mesmo local; portanto, prever o surgimento de tais lesões é uma tarefa complexa.

 

Como tratar dores musculares - lesões musculares

Os princípios do tratamento das lesões musculares na fase aguda seguem o método PRICE (proteção, repouso, gelo, compressão local  - TransAct® Lat é um exemplo de tratamento para lesões musculares e de tratamento para dores musculares - e elevação do membro acometido).

O repouso do membro afetado mediante a utilização de órteses (tipoias, muletas, estabilizadores articulares) está indicado nos estiramentos de grande magnitude. Durante o processo de reabilitação, há a necessidade de modificar as atividades de risco. A mobilização do membro acometido, para contenção da área de lesão, a utilização de ultrassons ou laser, o tratamento cirúrgico, ou outras técnicas auxiliares à reparação/cicatrização, redução da inflamação e do espasmo muscular e outros, poderão advir para o processo de recuperação.

No entanto, enquanto todas estas técnicas envolvem custos elevados, e dispêndio de tempo a longo prazo, existem outras terapêuticas disponíveis (remédios para dores musculares) mais acessíveis, não invasivas e de eficácia comprovada, que poderão ser utilizadas de acordo com a gravidade das lesões ou dores musculares, e mais especificamente dores musculares nas pernas, dores musculares nas costas, ou outras, nomeadamente a aplicação de pensos impregnados com a substância ativa flurbiprofeno - pensos TransAct® Lat

 

 

Indicações terapêuticas - TransAct® Lat pensos

TransAct® LAT, antiinflamatório para dores musculares, está indicado no tratamento sintomático das situações de inflamação musculoesquelética localizada de origem pós-traumática ou reumática, resultando em dores musculares ou dores das articulações, que podem ser de natureza aguda ou crónica.

TransAct® Lat é um penso impregnado, o qual liberta de uma forma sustentada níveis de flurbiprofeno diretamente para a área afetada com uma absorção sistémica mínima.