+351 21 432 95 00




COMPOSIÇÃO

O dispositivo intra-uterino (DIU) Mona Lisa® Cu375/375 SL é constituído por uma peça de polietileno. O braço longo é revestido com um arame de cobre. A superfície de cobre é de 375 mm2. No extremo inferior do braço longo estão presos dois os para a retirada. Medidas: 19,5 mm ± 1 mm de largura e 34,8 mm ± 0,2 mm de comprimento para o Mona Lisa® Cu375 e 19,5 mm ± 1 mm de largura e 29,4 mm ± 0,2 mm de comprimento para o Mona Lisa® Cu375 SL. O revestimento de polietileno e o o são radiopacos.

 

MODO DE AÇÃO E PROVÁVEL EFICIÊNCIA

Há dois tipos diferentes de dispositivos intra-uterinos contraceptivos. Estudos realizados em todo o mundo comprovam, como já era sabido, que os DIUs de cobre são, a longo prazo, tanto seguros quanto eficientes. Para além disso, é consenso que os DIUs Mona Lisa® Cu375/375 SL pertencem aos métodos contraceptivos mais eficazes já desenvolvidos. O Mona Lisa® Cu375/375 SL possui uma forma que previne a irritação do útero. Ele é normalmente colocado durante a menstruação. A colocação é geralmente indolor. A abertura do útero é examinada para obter o tamanho da cavidade uterina e o Mona Lisa® Cu375/375 SLcolocado cuidadosamente na cavidade uterina até ele atingir a sua posição correcta e tocar o Fundus. Quando o Mona Lisa® Cu375/375 SL tiver sido colocado, estará protegida contra uma gravidez.

 

O Mona Lisa® Cu375/375 SL oferece protecção contra a gravidez durante cinco anos.

A eficácia dos DIUs é alta e só pode ser comparada àquela obtida com os anticoncepcionais orais. Nenhum método contraceptivo oferece 100% de segurança. Em termos práticos, poderá ter certeza de que está protegida com Mona Lisa® Cu375/375 SL.

Ainda não é sabido exata e completamente como os DIUs atuam. Supõe-se, atualmente, que a ação se deva a uma perturbação da função normal dos gametas masculinos (espermatozóides) que, assim, se tornam incapazes de fecundar o óvulo feminino. Supõe-se também que os iões do cobre influenciem o desenvolvimento dos óvulos, não vindo a ocorrer uma fecundação. Portanto, os DIUs não são mais considerados abortivos.

 

CONTRA-INDICAÇÕES

O Mona Lisa® Cu375/375 SL não deverá ser empregado em caso de:

  1. Doenças malignas na zona genital
  2. Hemorragias vaginais
  3. Gravidez
  4. Uma gravidez etópica anterior ou fatores que indiquem predisposição para tal
  5. Infeções no trato genital
  6. Doenças sexualmente transmissíveis durante os últimos 12 meses (excepto vaginite bateriana, infeções repetidas por herpes e hepatite B)
  7. Interrupção da gravidez com uma infeção durante os últimos 3 meses
  8. Doenças inflamatórias pélvicas
  9. Deformações do útero (congénitas ou adquiridas)
  10. Alergia ao cobre

O emprego deverá ser bem refletido em caso de:

  1. Doenças das válulas cardíacas
  2. Anemia
  3. Distúrbios da coagulação sanguínea
  4. Tratamento com medicamentos anti-inflamatórios
  5. Doença de Wilson
  6. Troca frequente de parceiro sexual
  7. Nuliparidade

 

POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES E MEDIDAS DE PRECAUÇÃO

Os três primeiros ciclos depois da colocação costumam ser diferentes dos ciclos normais da paciente. A menstruação é, em geral, mais intensa, há possibilidade de espasmos e, tanto antes quanto depois, pode haver perda de sangue após a colocação do DIU, a menstruação decorrerá normalmente conforme antes da colocação. Às vezes, essas alterações são perceptíveis durante o ciclo entre os episódios de perdas menstruais mensais.

Se sentir algum tipo de dor durante as relações sexuais, fluxo malcheiroso, dores abdominais ou se tiver febre, contacte de imediato o seu médico, pois uma infeção do útero e das trompas uterinas poderá comprometer o efeito contraceptivo do DIU.

No caso de atraso da mentruação, deverá também contactar o seu médico, uma vez que outra possível complicação advinda da utilização de um DIU é uma gravidez fora do útero, por exemplo, na trompa uterina (gravidez ectópica).

 

COLOCAÇÃO E RETIRADA

Antes da colocação, a mulher deverá ser informada a respeito da eficácia, dos riscos e dos efeitos colaterais associados ao Mona Lisa® Cu375/375 SL. Um exame ginecológico com exame do abdómen e uma colheita de amostra do cérvix deverão ser efetuados. Deverão ser excluídas as possibilidades de uma gravidez já existente, de infeções abdominais e de doenças sexualmente transmissíveis. O posicionamento do útero e o tamanho da cavidade uterina deverão ser verificados.

As indicações de colocação deverão ser cuidadosamente seguidas e o registo da paciente deverá ser preenchido junto com o médico.

Deverá haver um exame de controlo depois de 4-12 semanas da colocação, bem como, depois disso, a cada ano ou, de acordo com indícios clínicos, em maior frequência.

Recomenda-se a colocação do DIU durante ou logo em seguida à menstruação. Excluída a possibilidade de gravidez, o Mona Lisa® Cu375/375 SL pode ser colocado em qualquer momento durante o ciclo. O DIU é inserido no útero com a ajuda de um aplicador fino e flexível. A mulher poderá sentir este processo, embora geralmente não esteja associado à percepção de dor peculiar. O Mona Lisa® Cu375/375 SL pode ser substituído por um novo DIU em qualquer momento no ciclo. É possível a colocação imediata após a interrupção de uma gravidez no primeiro trimenon. Não deverá colocar um DIU antes de seis semanas após um parto, pois este aumenta a possibilidade de uma perfuração ou de uma rejeição. Não há qualquer problema que impeça a amamentação se a mulher tiver um DIU.

Mona Lisa® Cu375/375 SL é retirado puxando-se cuidadosamente os fios para retirada. Se os fios não estiverem visíveis e o DIU estiver localizado na cavidade uterina, a retirada deverá ser protelada até ao próximo episódio de perda menstrual, pois os fios são, em geral, visíveis imediatamente após a perda de sangue na menstruação. Se, mesmo assim, não puder ver os fios, o DIU poderá ser retirado com o uso de um fórceps tipo tenáculo. Isto poderá exigir o alargamento do canal do colo do uterino. Após a retirada, a possibilidade de concepção retorna ao normal.

Se prevalecer o desejo da mulher de utilizar um DIU como contraceptivo, poderá ser colocado agora um novo DIU. Se não for desejada uma gravidez, a retirada deve ser efetuada durante a menstruação. Se o DIU retirado no meio do ciclo e a mulher tiver mantido relações sexuais até uma semana antes, haverá risco de gravidez, mesmo se, logo depois da retirada, um novo DIU tiver sido colocado.

A colocação e a retirada poderão ser acompanhadas de pequenas dores e perdas de sangue. Devido à perturbação circulatória, o processo poderá causar desmaio e, em pacientes epilépticas, um acesso epiléptico.

Seu médico informará como tocar os dois pequenos fios de nylon que saem do útero e podem ser sentidos na vagina. Deverá averiguar regularmente se os fios se localizam na posição correta.

 

INTERAÇÕES

Está comprovado que, de modo geral, é bastante improvável que haja prejuízo da atividade contraceptiva do DIU Mona Lisa® Cu375/375 SL causado por outros medicamentos. Entretanto, dados publicados indicam uma atividade diminuída quando da utilização a longo prazo de medicamentos anti-inflamatórios e não-esteróides no tratamento da dismenorreia não influencia a atividade contraceptiva.

 

EFEITOS COLATERAIS

Em raros casos, imediatamente após a colocação do DIU, poderá ocorrer dores ou vertigem. Se esses sintomas não desaparecerem depois de, aproximadamente, meia hora de descanso, significará que o DIU provelmente não esteja colocado de maneira correto. Deverá certificar-se da posição correta e, se necessário, o DIU precisará de ser retirado. O DIU pode provocar reções alérgicas na pele.

O DIU é esterilizado e destinado a uma única utilização, jamais utilize-o novamente.

 


 

Em Portugal apenas é comercializado o Mona Lisa® Cu375