+351 21 432 95 00



Prisão de ventre na gravidez

A alimentação e a prisão de ventre na gravidez

Em caso de prisão de ventre (obstipação), deve-se aumentar a ingestão de fibra. As fibras solúveis dos legumes, dos vegetais, da aveia, e da cevada são metabolizadas pelas bactérias do cólon e formam um gel lubrificante que incorporado no bolo fecal facilita a sua progressão. As fibras insolúveis do trigo, do arroz, das nozes e alguns vegetais retêm água e aumentam o volume do bolo fecal que vai estimular a motilidade do intestino preso. O farelo de trigo é um bom exemplo de utilização para solucionar o problema da prisão de ventre.

É importante não esquecer que a fibra ingerida deve ser acompanhada com um aumento proporcional de ingestão de líquidos (água). Essa adição suplementar de ingestão de fibra à dieta deve ser gradual, inicialmente com uma pequena dose, e incrementada lenta e progressivamente.

No entanto, a fibra não resolve todos os casos de prisões de ventre, e até agrava alguns já existentes, uma vez que pode produzir grande quantidade de gases, o que levará a situações de desconforto e dor. É nestas situações, em que as medidas gerais e a dieta rica em fibra não conseguem os efeitos desejados, que recorremos ao uso de laxantes, e Microlax® laxante poderá ser a solução. 

Prisão de ventre na gravidez, o que fazer?

No final da gravidez, é comum que a mulher tenha mais problemas com a prisão de ventre e poderá utilizar um laxante para prisão de ventre, para aliviar o desconforto. 

Existem alguns microclisteres que são adequados para a gravidez pois não provocam danos ao bebé, como é o caso do citrato de sódio (laxante Microlax®).

O uso de laxante na gravidez é uma boa maneira de conseguir eliminar os gases intestinais acumulados e aliviar a prisão de ventre.

Alguns obstetras recomendam laxantes de uso oral para a obstipação. E para acelerar o processo de resolução da prisão de ventre, existem vários laxantes eficazes que ajudam o intestino preso, por forma a que a defecação seja mais suave, natural e indolor, como é o caso do Microlax®.

 

Microlax® está indicado no tratamento sintomático da obstipação rectal ou recto-sigmóideia, encopresis (excreção involuntária das fezes), obstipação durante a gravidez, obstipação associada ao parto e cirurgia (uso pré e pós-operatório) e preparação do recto e sigmóide para exames endoscópicos. Evitar a utilização de Microlax® no caso de congestão hemorroidária, fissuras anais ou rectais e colites hemorrágicas. Medicamento não sujeito a receita médica. Ler cuidadosamente as informações constantes do acondicionamento secundário e do folheto informativo e, em caso de dúvida ou de persistência dos sintomas, consultar o seu médico ou farmacêutico.